Pelo menos 80 mulheres foram beneficiadas com a renda

A Prefeitura do Paulista – através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura em parceria com a Secretaria de Políticas Sociais e Esportes – encomendou cerca de 8 mil máscaras a associações, cooperativas e grupos de artesãos do município. As máscaras serão distribuídas gratuitamente à população em ruas, filas de lotéricas, bancos, supermercados e também nos transportes complementares da cidade. Foram beneficiadas diretamente, pelo menos, 80 mulheres pertencentes às entidades que ficaram responsáveis pelas confecções das máscaras.

Segundo o secretário da pasta de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura, Jorge Rocha, serão decididos ainda nesta quinta-feira (18) em reunião com a Secretaria de Políticas Sociais e Esportes os pontos da cidade onde ocorrerão as distribuições do material. Jorge adiantou que as máscaras serão oferecidas em locais de grandes aglomerações de pessoas, como os comércios do centro.

“Graças à encomenda dessas máscaras, conseguimos reunir todas as mulheres que estavam paradas por conta da pandemia. Uma grande oportunidade de ter uma renda extra”, disse a responsável pela Associação de Mulheres Nova Esperança (Amne), Sônia Leal. A associação é uma das oito entidades envolvidas na entrega do pedido feito pela prefeitura.

Desde o mês de maio o uso de máscara tornou-se obrigatório no território pernambucano. Antes a utilização era apenas uma recomendação. Com o passar dos dias e com o aumento dos casos no Estado, a máscara passou a ser um acessório obrigatório. Todos devem utilizar o equipamento nas ruas, dentro dos órgãos públicos, no interior dos estabelecimentos que estejam autorizados a funcionar de forma presencial e também nos veículos transportes públicos e privados.

As oito instituições responsáveis pelas produções funcionam dentro do próprio município. São elas: Associação Paulistense Artesanal e Cultural (Apartec); cooperativa Mimo de Mulher; Associação de Artesãos de Paulista (APPE); cooperativa Dona Sinhá; cooperativa Femina; grupo produtivo Arte Cores; grupo produtivo Lírios e o Amne.

Fonte: FolhaPE